Segundo pesquisa norte-americana, sim, as mulheres dirigem seus carros com mais segurança em comparação aos homens.

E, além disso, estão menos envolvidas em acidentes graves. Portanto não é para menos que são “premiadas” com seguros de carro mais em conta, por parte das seguradoras.

Elas estão em apenas 6,4% dos acidentes de carros 

O fato de o número de condutores do sexo masculino ser maior não justifica mais a presença massiva dos homens em acidentes graves como antigamente. 

Já existem estudos mostrando que os resultados são estatisticamente proporcionais, quando se considera o mesmo número de condutores homens e mulheres.

No Brasil, embora ainda seja comum ouvirmos gracejos e piadas sobre como a mulher é na direção, não é o que as estatísticas apontam.

Segundo o Infosiga SP, que coleta e analisa dados baseados nos boletins e registros da Polícia Civil (RDOs) e da Polícia Rodoviária Federal no estado de São Paulo, as mulheres marcaram menos presença em acidentes graves de trânsito em 2017.

Apenas 6,4% dos condutores nesse tipo de acidente eram do sexo feminino, contra 93,1% do sexo masculino.

Eles entendem mais sobre carros

Mulheres e carros

Homens ainda entendem mais do funcionamento dos carros

A Quality Planning, empresa que realiza pesquisa para as companhias de seguro dos Estados Unidos, constatou que:

*Os homens têm 3,4 vezes mais chances do que as mulheres de serem multados por dirigir com imprudência e são 3,1 vezes mais citados por dirigirem embriagados.

*As mulheres são, geralmente, motoristas menos agressivas e mais cumpridoras da lei, atributos que levam a menos acidentes.

Já uma outra pesquisa, da MetLife, mostrou que os homens conhecem melhor os carros e estão mais familiarizados com os equipamentos de segurança atuais.

Porque o valor do seguro é mais baixo para elas

Por causa desse comportamento ao volante, o público masculino acaba pagando a conta mais alta na hora de contratar um  seguro para seu carro.

Os seguradores de companhias de seguros se concentram em quais classes de motoristas têm o menor número de sinistros e, por enquanto, isso aponta para as mulheres.

Como resultado, as taxas de seguro automóvel são mais baixas para as mulheres na maioria dos países.

Mulheres ao volante, o que as estatísticas dizem

Estudos psicológicos chegaram à conclusão de que existe uma característica comportamental segundo o gênero.

Não há qualquer diferença que justifique que homens sejam mais aptos a dirigir que as mulheres.

O que ocorre é que as mulheres são menos agressivas.

De acordo com Silvia Lisboa, coordenadora do Movimento Paulista de Segurança no Trânsito, os homens são estimulados a serem competitivos e agressivos.

Por outro lado, as mulheres têm um senso mais cuidadoso e empático, tendências que se refletem no comportamento ao volante.