15% dos furtos e roubos de veículos em Porto Alegre são simulados pelos próprios donos

Além do combate às quadrilhas de ladrões de veículos, agora a polícia precisa se ocupar também com uma nova modalidade de fraude que vem crescendo: o golpe do seguro. São pessoas que simulam ter seus veículos roubados ou furtados para receber a indenização das seguradoras. De acordo com o titular da Delegacia de Roubos de Veículos do Deic, delegado Juliano Ferreira, cerca de 15% das ocorrências registradas em Porto Alegre são “inventadas”.

Dados da Secretaria de Segurança Pública do Rio Grande do Sul, do primeiro trimestre, revelam uma média mensal de 817 casos de roubos e furtos na Capital. Como pelo menos 30% dessas ocorrências se referem a motos, a média de automóveis fica em 571 casos. Ou seja, ao menos 69 ocorrências mensais envolvendo carros seriam golpes para receber o seguro, uma média diária de duas fraudes.

De acordo com o presidente do Sindicato das Seguradoras no Rio Grande do Sul (SINDSEG RS), Júlio Rosa, 3% das indenizações de veículos na Capital deixam de ser pagas por alguma comprovação de fraude. A diferença de 12% entre os índices da polícia e do Sindseg RS seria devida aos golpes que tiveram êxito.

– Essa diferença se deve ao fato de não conseguir se provar que houve má fé. Nós sabemos (que é golpe) pelo que consta no registro da ocorrência, são dados que não batem, mas entre saber e afirmar existe um espaço muito grande. É o mesmo que dizer que 80% dos homicídios envolvem drogas, nem sempre há como comprovar, embora saibamos que é verdade – admite o delegado.

×

Olá!

Como posso te ajudar?

×