Números da consultoria Celent sobre os investimentos globais do setor de seguros em tecnologia da informação sugerem que a América Latina, e particularmente o Brasil, puxam os aportes globais desse setor em TI.

Segundo a pesquisa, o volume total, considerando-se América do Norte, Europa, América Latina e a região Ásia-Pacífico, crescerá US$ 162,1 bilhões durante 2014, com um crescimento continuado de US$ 176,7 em 2016 – uma taxa anual de crescimento de 4,4%.Na América Latina a expectativa é de que os investimentos cheguem a US$ 9,6 bilhões até 2016, com uma taxa de crescimento anual de 18,5% para o mesmo período de 2014 a 2016.

No caso específico das seguradoras de vida, investimentos de US$ 2,63 bilhões em 2014 representam um aumento de 52,9% com relação a 2013. Os aportes chegarão a US$ 3,06 bilhões em 2015 e US$ 3,9 bilhões em 2016 – altas de 16,2% e 26,6%, respectivamente.

“As seguradoras da América Latina estão reconhecendo a importância da tecnologia e isto se reflete em um orçamento muito mais orientado à TI, aumentando a proporção da despesa em mais de 50% durante 2014”, calcula Juan Mazzini, analista sênior da Celent e coautor do relatório.

Segundo o relatório, “o crescimento do investimento tecnológico do Brasil vai a um ritmo mais importante que o resto da região”. O país representaria 61% dos investimentos da AL e, de acordo com o estudo, seguradoras de não-vida gastarão US$ 4,2 bilhões em 2014. O investimento destas companhias crescerá até US$ 4,8 bilhões em 2015, e atingirá US$ 5,7 bilhões em 2016 com uma taxa de crescimento anual de 15,7% e 17,9%, respectivamente.

Reader Interactions